A música e sociedade através do olhar de Richard Leppert & Susan McClary

R. Leppert. Music and Society
Music and Society

O discurso da música pura introjetou-se de maneira tão arraigada no cotidiano da música clássica que durante muitos anos basicamente toda a análise de história da música levava em conta somente aspectos puramente musicais, ignorando as profundas conexões existente entre a arte dos sons e a sociedade a sua volta. É questionando tal autonomia que o livro “Music and Society”, editado pela Universidade de Cambridge e organizado por Richard Leppert e Susan McClary, tornou-se uma das principais referências referências na musicologia nas últimas décadas.

A musicóloga Susan McClary
A musicóloga Susan McClary

Desde o século XIX o discurso da autonomia da música busca afirmar ideologicamente a independência do campo musical em relação à sociedade. Esse discurso se impôs de maneira hegemônica a ponto de haver cristalizado nos estudos musicais uma abordagem que privilegia as questões estéticas e conteudísticas em prol de uma análise mais ampla da música. Excetuando os esforços da escola de Frankfurt, em especial Adorno, foi somente na década de 70 que a musicologia passa a ter olhos para outros campos em busca de análises mais amplas. Desde então a musicologia tem se enriquecido adotando abordagens extraídas de diversos campos do pensamento, desafiando uma visão hermeticamente isolada no fenômeno musical. É esta proposta de analise que permeia o presente livro.

Esta obra busca combater a ideia de que a música habita uma esfera autônoma da sociedade, onde basicamente apenas questões estéticas são relevantes. Desafiando os estudos musicais que buscam na forma e conteúdo da obra artística praticamente o material único de sua análise, os ensaios contidos neste livro encontram seu foco nas relações entre a música e a sociedade.

Numa série de ensaios escritos por vários importantes sociólogos e musicólogos, somos apresentados à problemática da interação entre o fenômeno musical e a sociedade através de diversos assuntos, desde as relações da música de Bach com a política de sua época, passando pela questão da hegemonia masculina no campo musical, até o impacto que a reprodução mecânica do som trouxe e traz para a música como um todo, de intérpretes a ouvintes.

O musicólogo Richard Leppert
O musicólogo Richard Leppert

Recomenda-se sobretudo o brilhante ensaio da musicóloga Janet Wolff no qual se rebate o argumento de que a música, por ser uma arte de natureza não representacional e abstrata, é menos afeita à análise social do que as demais artes. Outro ensaio fundamental é o de Richard Leppert, onde o musicólogo, através de uma análise iconográfica de quadros pintados durante a colonização inglesa na Índia, mostra como a música pode servir, inclusive, como símbolo e justificativa de dominações sociais.

Este é um livro desafiador que deve ser lido tanto por aqueles que buscam para além das questões estéticas um meio de compreender as criações musicais, bem como por todos os interessados em entender como a música pode servir como uma forte ideologia, tornando-se um discurso imperativo que ajuda a reprodução da nossa sociedade enquanto tal.

……

Importante: Os textos deste espaço são autorais, exclusivos e de propriedade do Música e sociedade, tendo todos seus direitos reservados conforme previsto em lei. Compartilhamentos em redes sociais e outros sites, contanto que contenham a menção da fonte, são muito bem vindos e não requerem autorização prévia.

Compartilhar
Artigo anteriorA posição estratégica e o capital social de Beethoven em Viena II
Próximo artigoAs salas de concerto na Viena da primeira metade do séc XIX
É o idealizador, criador e proprietário do Música e Sociedade, resultado de uma ampla e densa pesquisa acerca do universo musical pelo prisma da sociedade. Estudou licenciatura em música no Instituto de Artes da UNESP. É também professor nas áreas de composição, piano, história da música e trilha sonora, ministrando uma série de cursos e palestras nestas áreas. É autor de dezenas de trilhas sonoras para as mais diversas mídias, tais como teatro, cinema e dança, além de compositor de música de concerto em uma extensa variedade de gêneros.