Beethoven segundo Maynard Solomon

Solomon Beethoven
Ludwig Van Beethoven

Se você busca uma biografia que saiba dar ênfase ao contexto social em que viveu o compositor, buscando traçar sua vida e sua carreira dentro do momento histórico específico, “Beethoven” de Maynard Solomon é a melhor pedida disponível em português.

Autor de uma outra grande biografia, “Mozart, a life”, além de outras publicações sobre Beethoven, Solomon mergulha em uma pesquisa onde os fatores sociais, psicológicos e musicais se conectam em complexas interações que são explicadas por Solomon de maneira simples, evitando jargões da psicanálise ou da sociologia, por exemplo.

Um dos maiores feitos deste livro está no fato do biógrafo não assumir posição em relação ao biografado, ou seja, não assumir uma postura de defesa ou ataque ao compositor. Sempre desmistificador, Solomon sabe pontuar os fatos e tecer análises sem cair no achismo e sem tomar a posição de advogar em nome de Beethoven.

Beethoven de Maynard SolomonOutro ponto importante da biografia é a análise da psique de Beethoven. Solomon consegue encontrar nos acontecimentos da vida do compositor elementos para tecer interessantes teses. A principal delas remete ao “romance de família”, conceito extraído de Freud em que a criança substitui um ou ambos os pais por heróis, celebridades, reis, rainhas e nobres (Solomon, 1987, p. 46). Negando a figura do pai e a data de seu nascimento, Beethoven dá asas a uma fantasia sobre seu passado nobre: ele não seria filho de Johann Von Beethoven e sim de Frederico Guilherme II, rei da Prússia. As consequências deste romance de família se prolongam durante muitos anos, culminando num vexatório processo que envolve a publicação da Missa Solene, onde o compositor teve de negar publicamente a história.

Um ponto desmistificador da obra é a relação de Beethoven com a aristocracia. Os inúmeros relatos do comportamento tempestuoso de Beethoven com a nobreza e as alegações acerca do espírito revolucionário do compositor são analisados cuidadosamente trazendo nova luz sobre os fatos. Nesta questão, a leitura do excelente livro “Beethoven and the construction of genius” da musicóloga Tia DeNora será um grande complemento para o entendimento da questão.

Fugindo dos lugares comuns, sem receio de tecer argumentações desmistificadoras, “Beethoven” de Maynard Solomon é uma leitura mais do que recomendada para todos aqueles que pretendem se aprofundar na vida do “mestre de Bonn”.

……

Referência

SOLOMON, M. Beethoven. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1987

……

Importante: Os textos deste espaço são autorais, exclusivos e de propriedade do Música e sociedade, tendo todos seus direitos reservados conforme previsto em lei. Compartilhamentos em redes sociais e outros sites, contanto que contenham a menção da fonte, são muito bem vindos e não requerem autorização prévia.

Compartilhar
Artigo anteriorUma introdução à história do music hall
Próximo artigoO comércio de partituras no século XIX
É o idealizador, criador e proprietário do Música e Sociedade, resultado de uma ampla e densa pesquisa acerca do universo musical pelo prisma da sociedade. Estudou licenciatura em música no Instituto de Artes da UNESP. É também professor nas áreas de composição, piano, história da música e trilha sonora, ministrando uma série de cursos e palestras nestas áreas. É autor de dezenas de trilhas sonoras para as mais diversas mídias, tais como teatro, cinema e dança, além de compositor de música de concerto em uma extensa variedade de gêneros.